Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

GAI - Gabinete de Apoio e de Intervenção

Projecto da responsabilidade da apie - Associação Portuguesa de Investigação Educacional - Para esclarecer, sensibilizar e intervir.

GAI - Gabinete de Apoio e de Intervenção

Projecto da responsabilidade da apie - Associação Portuguesa de Investigação Educacional - Para esclarecer, sensibilizar e intervir.

Apoio on-line

Olá. Preciso da vossa ajuda. Sou educadora de infância e para a semana vou iniciar com um grupo de 2 anos com 8 crianças, mas uma delas é autista e outra com necessidades especiais. Precisava de ideias para actividades para estas crianças. OBRIGADO

 

Colega... Desde já BOA SORTE E BOM TRABALHO com os seus novos alunos. Tenho a certeza que será uma óptima experiência profissional e pessoal. A inclusão,  requer adaptações em níveis maiores ou menores ( adaptação parcial ou total) para adequar totalmente o processo pedagógico às capacidades dos alunos de toda a aula. A educação inclusiva surge como orientação a adoptar. Incluem-se todas os que pelas suas características e singularidades se tornam diferentes ou iguais aos outros, abarcando todas as características mais ou menos próximas da “norma” em determinado contexto. Defende-se, não o salientar da diferença mas a igualdade de direitos de cada um, criança, jovem ou adulto, com capacidades de aprendizagem próprias. A aprendizagem tem que deixar de ser vista como o acumular de conhecimentos e ser entendida como os processos de experimentação, de consideração, simbolização e de descoberta que cada um realiza face a uma situação. A escola é de todos e para todos, há que criar novas soluções reinventar a escola. A aprendizagem vai-se adaptar a cada criança e todos beneficiarão de um ensino mais centrado em cada um, em vez de desenhado para a maioria, como tradicionalmente acontecia. Os princípios básicos para a intervenção, fundamentam-se em detectar e intervir o mais cedo possível, ter um optimismo razoável, baseando-nos nas capacidades e recursos que a criança tem, oferecendo-lhe situações e experiências que permitam o seu desenvolvimento, gerar uma dinâmica de êxitos no trabalho a realizar, para que a criança se sinta capaz de vencer as dificuldades. O autismo é uma doença psiquiátrica rara e grave da infância – Síndrome de Kanner – autismo infantil – caracterizado por um desenvolvimento intelectual desequilibrado, afectando também a capacidade de socialização. Podemos também caracterizá-lo como uma anormalidade grave que se caracteriza por severos problemas ao nível da comunicação e do comportamento, e por uma grande incapacidade em relacionar-se com as pessoas de uma forma normal. É um distúrbio neurofisiológico e a sua causa é desconhecida. Alguns investigadores atribuem a alterações bioquímicas.

Enfim, muito mais há para dizer. Aqui fica alguma bibliografia acerca das nee:

Andrada , M. (1997). Paralisia cerebral: o estado da arte no diagnóstico e intervenção. Revista de Medicina Física e Reabilitação, 5

Andrada , M. & Oliveira, M. (1970). Perturbações de linguagem nas crianças com paralisia cerebral. Revista Portuguesa de Deficiencia Mental, 1

Coelho, L. e Coelho, R. (2001). Impacto psicossocial da deficiência mental. Revista Portuguesa de Psicossomática, nº 001, vol.3, Porto.

Geralis, E. (2007). Crianças com Paralisia Cerebral – Guia para Pais e Educadores. Artmed, Porto Alegre.

R. Bautista (Ed.), Necessidades educativas especiais. Lisboa: Dinalivro,

Heidrich, R. O. e Santarosa, L., (2003). Novas tecnologias como apoio ao processo de inclusão escolar.

Oliveira, A. et al. (2004), A tecnologia e o desenvolvimento cognitivo da criança com paralisia cerebral.
Oliveira, C. (1998), Processos e estratégias cognitivas em alunos com atraso mental. Tese de Mestrado.

Pereira, F. (1998), Da Escola para alguns a uma Escola para Todos, in Boletim Apoios Educativos, nº1 – DEB – Ministério da Educação, Lisboa.

Santos, A. e Sanches, I. (2004). Práticas de Educação Inclusiva: Aprender a incluir a criança com paralisia cerebral e sem comunicação verbal no jardim de infância.

Vieira, F. e Pereira, M. (2007). Se houvera quem me ensinara… - A educação de pessoas com deficiência mental, 3ª Edição, Fundação Calouste Gulbenkian

Em baixo deixamos alguns links com sugestões, artigos:

Aqui ficam alguns links de interesse (artigos e formas de intervenção):

http://edif.blogs.sapo.pt/28986.html

http://edif.blogs.sapo.pt/21274.html

http://edif.blogs.sapo.pt/21196.html

http://edif.blogs.sapo.pt/25876.html

http://edif.blogs.sapo.pt/25667.html

http://edif.blogs.sapo.pt/26174.html

http://edif.blogs.sapo.pt/26608.html

http://edif.blogs.sapo.pt/18025.html

http://edif.blogs.sapo.pt/9465.html

http://edif.blogs.sapo.pt/808.html

http://www.sitiodosmiudos.pt/sitio.asp

http://www.junior.te.pt/servlets/Jardim?P=Jogos

http://www.asolutionforyou.com/Parking%20Game/scoregame/Game.htm

http://www.coloring.com/pictures/choose.cdc

http://www.domingosnotransito.pt/domingos.htm

http://cantinhodateresa.no.sapo.pt/

http://mocho.pt/cab/

http://nonio.eses.pt/contos/andersen.htm

http://www.meddybemps.com/letterary/guide_and_archives.html

http://www.spotthedifference.com/

http://web.educom.pt/escolovar/mat_2operacoes_descobrre_10numeros.swf

http://jogoseducativos.jogosja.com/

http://www.noddy.com/funtime/index_pt.html

http://www.mathplayground.com/math_manipulatives.html

http://www.cercifaf.org.pt/mosaico.edu/ca/index_ca.htm

http://www.estadinho.com.br/index3.html

http://www.poissonrouge.com/

Bom Trabalho! 

 


 

2 comentários

Comentar post