Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

GAI - Gabinete de Apoio e de Intervenção

Projecto da responsabilidade da apie - Associação Portuguesa de Investigação Educacional - Para esclarecer, sensibilizar e intervir.

GAI - Gabinete de Apoio e de Intervenção

Projecto da responsabilidade da apie - Associação Portuguesa de Investigação Educacional - Para esclarecer, sensibilizar e intervir.

Educação especial e inclusiva: Mudanças para a escola e sociedade

Educação especial e inclusiva: Mudanças para a escola e sociedade

Educacao Especial E Inclusao Educacional

Educacao Especial E Inclusao Educacional

Divulgação

Bom dia,

 

Solicito, se possível, a vossa ajuda na divulgação.

Agradecemos se divulgarem para a vossa base de dados.

 

 

Congresso Internacional

Intervenções Integrais: Modelo Biomédico, Educacional e Comportamental

 

 

O ABA- Centro de Terapias Comportamentais...

Tem o prazer de o convidar para o Congresso “Intervenções Integrais: Modelo Biomédico, Educacional e Comportamental” que vai  decorrer no dia 6 e 7 de Março de 2010, no auditório do Glaxo SmithKline, em Miraflores, cujo programa e ficha de inscrição se encontra em anexo.

 

Pretende-se, com este evento, apresentar como as intervenções integrais respondem de forma mais eficaz às necessidades dos indivíduos com perturbações de desenvolvimento, seja esta o autismo, défice de atenção e hiperactividade, ou outras motivadas por a doenças como a epilepsia, doença bipolar ou outras.  

 

Para tratar estes temas foram convidados especialistas de renome internacional na Área Biomédica – Dra. Leticia Domínguez R., Dra. María Jesús Clavera Ortiz, Prof. Lilia Negrón, Lori Knowles, Wilberto Castillo, Dr. William Shaw - e na Área Educacional e Comportamental – Prof. Armando Machado, Prof. Angeleque Akin-Little , Prf. Jens Skar, entre outros -, cujos currículos são os seguintes:

 

Armando Machado:

 

Armando Machado fez a sua formação académica inicial em Lisboa e depois na Bélgica, sob a orientação de Marc Richelle e Helga Lejeune durante dois anos. Em 1993 concretizou o seu doutoramento sob a orientação de John Staddon da Duke University, EUA. Em sequência da investigação que efectuou para o doutoramento, recebeu o “Annual Dissertation Award” da Divisão 25 da APA (American Psychological Association). Entre 1994 até 2000 foi professor da Indiana University, EUA. Em 2000 mudou-se para a Universidade do Minho, Portugal, onde continua a participar em diversas investigações relacionadas com as áreas do comportamento e da aprendizagem. Na maioria dos seus estudos, contrasta os resultados da experiência laboratorial com a previsão modelos matemáticos simples sobre o comportamento e a aprendizagem. O seu trabalho tem sido publicado em diversas revistas e jornais da especialidade e financiado pela “National Institutes of Mental Health” (USA)  e a Fundação Portuguesa para a Ciência e Tecnologia (Portugal). Já foi responsável pelo programa e posteriormente, presidente da Sociedade Quantitativa de Análise Comportamental (Society for the Quantitative Analysis of Behavior) e, actualmente, é presidente da Associação Portuguesa de Psicologia Experimental. Foi também editor de diversos jornais científicos ao longo da sua Carreira e presentemente, membro das comissões editoriais de diversos jornais internacionais.

 

Angeleque Akin-Little:

 

Angeleque Akin-Little recebeu o  seu doutoramento em psicologia Educacional pela universidade do Mississipi sul (University of Southern Mississippi) em Agosto de 1999. Actualmente, é membro do corpo docente do Curso de Psicologia Educacional do departamento de Ciências Sociais, Comportamentais e de Saúde da Universidade Walden (School Psychology Program in the College of Social, Behavioral, and Health Sciences at Walden University). Leccionou em diversas instituições, incluindo a Universidade de Hofstra (Hofstra University), Universidade de Albany (University at Albany), Universidade do estado de Nova Iorque (State University at New York) e Universidade do Pacífico (University of the Pacific). Profissionalmente, Akin-Little tem trabalhado com duas escolas acreditadas pela APA (American Psychological Association) e é uma psicóloga credenciada pelos estados de Nova Iorque e da Califórnia. Já publicou 50 artigos em jornais científicos e académicos, capítulos em livros e obras completas, entre outras publicações, e fez mais de 60 apresentações a nível nacional (EUA). Recentemente, foi nomeada membro do APA (divisão 16). Os seus interesses em investigação são extensos e incluem aspectos da Psicologia Educacional e da Análise Comportamental, principalmente na área da motivação humana.

 

Jens Skar:

 

Jens Skar é Psicólogo Clínico, Analista comportamental e membro da Associação psicológica da Noruega (Norweigen Psychological Association). Fez o seu doutoramento pela Universaidade de Bergen, na Noruega, em 1980. Desde 2001, é Director do Instituto de Análise Comportamental Aplicada, em Stavenger, na Noruega. Tem desenvolvido projectos e investigações em diversos contextos, ao nível individual, em grupo e comunitário.

 

Leticia Domínguez R.:

 

Leticia Dominguez é Médica Estomatologista da Universaidade Autónoma Metropolitana do México. Foi Co-fundadora e Presidente da “Liga de Intervención Nutricional contra Autismo e Hiperactividad A.C.” (LINCA).  Palestrante e organizadora de vários congressos e seminários sobre autismo e PDAH(perturbação de défice de atenção e hiperactividade). Foi autora do livro “Mejorando la Calidad de Vida de tu hijo Autista e Hiperactivo” e de vários artigos sobre a mesma temática em diferentes publicações. Além disso, foi tradutora e colaboradora do livro “Tratamentos Biológicos do Autismo e PDD” do Dr. William Shaw. É mãe de uma adolescente com autismo de 15 anos. Promotora da dieta isenta de glúten e caseína e da importância da intervenção nutricional.

 

Lilia Negrón:

 

Lilia Négron é Médica Psiquiatra da Universidade Central da Venezuela. Apresenta experiência desde 1974 em perturbações do foro psiquiátrico em crianças e adolescentes com autismo e no método TEACCH. Desde 1978 que investiga questões biológicas no tratamento e avaliação no Autism Research Institute. É a fundadora de SOVENIA (Sociedad Venezolana para Niños y Adultos Autistas) e do centro Bernard Rimland para perturbações do espectro autista, participante DAN! Venezuela e directora da clínica de higiene mental “Dr. Alberto Mateo Alonso” na Venezuela.

 

Lori Knowles:

 

Lori Knowles é a mãe do Daniel, de 8 anos, diagnósticado com autismo e hoje totalmente recuperado. Actualmente, é a directora de New Beginnings Nutritionals, uma empresa distribuidora de suplementos nutricionais especiais para crianças com autismo. Tem participado em múltiplos seminários internacionais, onde tem partilhado os seus conhecimentos e história pessoal. É a presidente da SPIN (Spectrum Parents Intervention Network) associação de apoio para pais de crianças com autismo.

María Jesús Clavera Ortiz:

Maria Clavera é licenciada em Medicina e Cirugía pela Universidade Autónoma de Barcelona. Especialista em Pediatria; Certificada na área da Saúde; em Estatística Médica e Epidemiologia pela Universidade Pierre et Marie Curie de Paris. Foi membro da Comissão Epidemiológica para o estudo da Epidemia do Síndrome Tóxico no ano 1981, estudo que demorou vários anos da sua vida e que fundamentou as suas bases de forma especial no que toca a avaliar e tratar doenças e epidemias. Estuda Medicina Holística desde 1990, especialmente Medicina Natural e intervem principalmente em doenças crónicas, autoimunes e degenerativas, tanto em crianças como em adultos. É membro da "SEMN" (Sociedad Española de médicos Naturistas), da "SEMO" (Sociedad Española de Medicina Ortomolecular) e da "PHYTOSALUS" (O.N.G. de recursos para a Fitoterapia em Burkina Faso). Desde 2001 que tem o privilégio de conhecer o protocolo DAN (Defeat Autism Now!), específico para crianças com autismo e problemas no Desenvolvimento, baseado nos mesmos principios nutricionais e ortomoleculares que já usava. Actualmente, é médica DAN e dirige os tratamentos biológicos através da sua clínica em Madrid e Barcelona.

 

 

Nicole Dias

 

Nicole Dias tirou a sua licenciatura no ISPA (Instituto Superior de Psicologia Aplicada) em 2005. Em 2006 integrou na primeira equipa a aplicar intervenções ABA (Applied Behavior Analysis) em Portugal, em crianças e adolescentes com necessidades educativas especiais, na qual ela coordenou equipas clínicas e programas de intervenção. Em 2008 co-fundou a Ideiaba, Lda, uma empresa dedicada à formação profissional, desenvolvimento de material didáctico e intervenção clínica. A Ideiaba é uma entidade que gere o ABA – Centro de Terapias Comportamentais, no qual a Nicole coordena equipas clínicas e programas de intervenção comportamental, formando psicólogas e profissionais da educação na aplicação das estratégias de ABA, entre outras responsabilidades, sob a supervisão da Reut Peleg (analista comportamental). A Nicole já apresentou workshops e seminários acerca de diversos tópicos relacionados com a intervenção comportamental, incluindo introdução ao ABA, princípios fundamentais, gestão de sala de aula, entre outros.

 

Reut Peleg

 

Reut Peleg obteve o seu B.A em Psicologia pela Universidade de Essex em 1996. Mais tarde, obteve a sua qualificação como analista comportamental pela Universidade de Tel-Aviv em 2000 e o seu grau de mestrado em Psicologia Geral pela Universidade Walden (EUA) em 2009, sob a orientação do Dr. Steven Little. A Reut tem trabalhado com crianças e adolescentes em Israel e Inglaterra, sob a supervisão do Professor Amos Rolider e do Dr. Paul Holland respectivamente. Ela tem coordenado programas de intervenção comportamental, conduzido análises funcionais, tem formado profissionais na aplicação de intervenções comportamentais intensivos e específicas, bem como coordenado programas escolares em ambos os países. Em 2001, a Reut serviu como supervisora do projecto de inclusão de ABA nas escolas pela NAS (National Autistic Society) em Israel. Em 2004, a Reut emigrou para Portugal, onde co-fundou a Ideiaba, Lda, uma empresa dedicada à formação profissional, desenvolvimento de material didáctico e intervenção clínica. A Reut já apresentou diversos workshops e participou em conferências em Israel, Inglaterra e Portugal.

 

Wilberto Castillo:

Wilberto Castillo é o Coordenador Internacional de Projetos Especiais do The Great Plains Laboratory, Inc. Ele tem falado sobre testes e intervenções biomédicas a pais e profissionais em conferências de autismo e anti-envelhecimento (anti-aging) nos Estados Unidos, no Canadá, no Brasil, nas Antilhas Holandesas, na Alemanha, na Suíça, em Espanha e em Marrocos. Nos últimos quatro anos, ele tem trabalhado com o Dr. William Shaw, PhD e com a Dra. Leticia Dominguez para ajudar pacientes autistas e com doenças crônicas, em mais do que 90 países do mundo. Ele guia os pais e os professionais nos processos de realização de testes e de envio de amostras ao Laboratório Great Plains. Também ajuda os pais a entender o significado clínico dos resultados dos testes e dá recomendações gerais sobre suplementação. Ele gosta de criar consciência sobre os benefícios dos tratamentos biomédicos e das intervenções comportamentais no bem estar das crianças e dos adultos no mundo inteiro.

William Shaw:

William Shaw  é membro certificado nas áreas de química clínica e toxicologia pela American Board of Clinical Chemistry. Antes de fundar The Great Plains Laboratory, Inc., Shaw trabalhou em Centros de control e prevenção de doenças (Centers for Disease Control and Prevention - CDC), Children’s Mercy Hospital, na escola de Medicina da Universidade de Missouri em Kansas City, e Laboratórios Smith Kline. Foi autor de Biological Treatments for Autism and PDD, originalmente publicado em 1998 e de Autism: Beyond the Basics, publicado em 2009. É também um participante frequente de conferências em todo o mundo. É padrasto de uma criança com autismo e tem ajudado profissionais e outros pais a melhorarem a qualidade de vida de indivíduos com autismo, PDAH, Alzheimer, perturbação bipolar, entre outros.

Com os melhores cumprimentos,

 

Cátia Sousa

 


 

Divulgação

Caras/os Senhoras/es,

 

Tomámos a liberdade de procurar o vosso contacto para vos apresentarmos a pimpumplay - uma comunidade online que reúne uma loja com os melhores brinquedos e jogos pedagógicos e terapêuticos, com informações, dicas e estratégias para promover o desenvolvimento humano, para todos, dos 0 aos 99 anos.

A pimpumplay é um projecto criado por especialistas em educação e saúde mental, cujo objectivo principal é o de disponibilizar alternativas promotoras do desenvolvimento e bem-estar. A pimpumplay é uma plataforma dinâmica e interactiva, em constante pesquisa para encontrar e disponibilizar os melhores produtos e conteúdos para enriquecer as dinâmicas entre pais e filhos, educadores e educandos, doentes e terapeutas, tendo por base o jogo e o brincar, como pontes entre a relação e o desenvolvimento. Procuramos assim marcar a diferença com conteúdos e produtos inovadores, que incorporam o que a investigação nas áreas da medicina, psicologia e ciências da educação destacam como sendo o poder de promoção da aprendizagem e desenvolvimento humanos, que o jogo e o brincar têm ao longo da vida. Esta é pois a base que define o lema da marca: “viver a brincar, viver a aprender”!

 

Na nossa “casa” (www.pimpumplay.pt) vão encontrar:

·         Um catálogo com os melhores produtos para promover o desenvolvimento e a aprendizagem, com produtos versáteis, para todos, dos o aos 99 anos.

·         Sistema de categorização e pesquisa avançada, para que encontre o que realmente necessita.

·         Informação, dicas e estratégias de utilização para os produtos do catálogo (“dicas dos especialistas”).

·         Conta-me como foi - possibilidade de comentar, adicionar vídeos ou fotos que partilhem a sua experiência com os restantes utilizadores da comunidade.

·         Não encontrou o que procura no nosso catálogo? Explique-nos o que necessita… temos muitos produtos que não estão ainda online e faremos tudo para encontrar uma solução adaptada para si.

·         Secção de “Ajuda especializada”, veiculada por especialistas em desenvolvimento, que tentarão esclarecer dúvidas e questões colocadas pelos utilizadores, sobre temas de desenvolvimento humano, educação e possibilidades terapêuticas.

·         Fórum de discussão de temas sobre desenvolvimento, educação e terapias.

 

Deixamos-lhe então o convite para que nos façam uma visita para que analisem a pertinência de divulgação do projecto no vosso blog.

 

Com os melhores cumprimentos,

 

Francisco Lontro

 


 

Petição

A Casa de Sta Isabel é uma Comunidade sócio-terapêutica , situada em S. Romão - Seia, e que foi fundada há 30 anos com a finalidade de acolher crianças, adolescentes e adultos com necessidades especiais.

Hoje a Comunidade conta com mais de 80 alunos, uns residentes outros não, acompanhados por uma larga equipa de terapeutas e colaboradores, e que vivem harmoniosamente em casas cuidadosamente integradas na paisagem da Serra Estrela.
Iniciou-se a recolha de assinaturas contra o projecto de estrada planeado para atravessar a Quinta do Formigo, a Quinta terapêutica da Casa de Sta Isabel, onde colaboradores, terapeutas e alunos  investiram para criar um lugar em harmonia com a natureza ,necessária ao bem estar individual e a integração comunitária. Hoje, este investimento e pioneirismo terapêutico com provas dadas no que respeita a qualidade de vida desses 80 alunos, como exemplo social de futuro que representa na sua área de intervenção, está a ser posto em causa em nome da modernização rodoviária,  da mobilidade dos nossos automobilistas, em suma em nome do egoísmo!

Mais, a quinta é uma quinta biodinâmica que pratica uma agricultura sustentável e profundamente respeitadora do meio ambiente, um outro marco e exemplo social de futuro nesta zona do país. Ultimamente a quinta foi dotada de "Trilhos didácticos" (Trilho das Árvores e Trilho Solar) para os caminhantes que querem usufruir deste percurso pedestre público que atravessa a Casa de Santa Isabel de S. Romão até Seia.

 Comunidade da Casa de Sta Isabel precisa da nossa ajuda, da nossa indignação frente a um projecto que não olha a meios para chegar ao seu fim. E podemos ajudar muito, assinando a petição online ou a petição em papel nos seguintes locais:

 Petição online:
http://www.PetitionOnline.com/formigo/petition.html

 Petição em papel que devem ser enviadas para a Casa de Sta Isabel até final de Janeiro 2010!

Casa Santa Isabel
Apartado 537
6270-956 São Romão (Seia)

 


 

Apoio on-line

Síndrome de Klippel-Trenaunay

 

“Eu tenho 34 anos, nasci com manchas vermelhas na perna esquerda, e algumas veias salientes, passei por um processo cirúrgico aos 9 anos para retirada da safena, desde então apresentou a má formação (inchaço). Aos 32 anos trabalhando tive fortes dores , e passando com o médico vascular , foi constatado que tenho kliippel trenaunay,e consequentemente tive tromboflebite, a qual foi curada na época. Logo após engravidei , tive uma óptima gestação, nasceu minha filha com perfeita saúde, após o nascimento dela sinto muitas dores na perna e vivo a base de analgésico .Estou afastada do serviço. O médico no qual faço tratamento disse que não retornarei mais ao trabalho. Gostaria de saber se alguém com o mesmo problema consegue manter a sua vida normal trabalhando, pois até os meus trinta e dois anos, nenhum problema eu tive, a não ser o inchaço na perna, mas sem dores”.

 

“Bom, meu nome é Angélica, tenho 34 anos, e desde dos meus 04 anos meu pé ja apresentava uma veia saliente, mais so consegui tratamento e consegui detectar a existência da doença, aos meus 13 anos de idade, desde então venho fazendo varias cirurgias com risco, no começo era mto difícil, pois meu pé sangrava mto, vivia correndo de hospital para hospital. Confesso que não é nada fácil se dar um um problema que não tem solução, mais nunca desiste. Já tente arrumar um serviço, mais não deu certo porque vieram novas cirurgias, hoje continuo com o problema, tenho que usar meias alta com pressão mais graças a Deus, é estável, pois trabalho em casa, e tenho certeza que mesmo com esse problema, posso ser mto feliz....!!!!! " bom ja foi feito mtas cirurgias, mais devida a falta de circulação, não teve a cicatrização é chamado pelos médico de ulcera, devido a ulcera, o médico (Marcio Monteiro), me passou um tratamento caseiro, de manha eu colocava mandioca crua ralada, e a noite eu colocava mastruz com álcool, não posso dizer que curou, mais melhorou mto”.

 

“olá também tenho essa síndrome já pesei por 3 cirurgias e varias inter. com ulcera no pé esquerdo estou em acompanhamento no HSE Rio de Janeiro estou em axilio já a 7 anos tenho 27 também sei que não tem cura mais convio em Deus e tenho forças para superar os obstáculos quem quiser conversar me adc meu msn lucianadb2009@hotmail.com”.

 

“pelo que conheço é uma doença congénita , más os sintomas começa a aparecer depois dos quatro anos, pelo menos isto é o que muitos dos médicos por quais passei ao longo de minha vida sempre me falaram”.

 

“entre em contacto comigo .. sou portadora da mesma sindrome, só descobri que tinha a síndrome aos 32 anos .. foi no HC de Sampa. Agora aos 56 anos apareceu umas pretas estou com medo ...meus pés queimam sinto dores terríveis....agora vou me deitar está doendo mto ... fica com Deus”.

Bom dia e bom ano para todos. Apresentamos cinco depoimentos acerca do Síndrome de Klippel-Trenaunay e não nos vamos estender em explicações ou esclarecimentos, até porque; já o fizemos no passado e estão arquivados. Portém, dada a especificidade e raridade do síundrome... E uma vez que temos tido bastantes contactos para esclarecimento e ajuda desta problemática... Deixo aqui uma sugestão... Porque não se organizam e fundam uma associação Portugal-Brasil acerca do Síndrome de Klippel-Trenaunay?? Estaremos dispostos a colaborar convosco e auxiliar-vos no que necessitarem...  O síndrome de Klippel-Trenaunay é uma doença rara, estando registados cerca de mil casos em todo o mundo - em Portugal estão identificados dois. Trata-se de uma malformação congénita que se dá na 26ª semana de gestação. A doença caracteriza-se sobretudo por problemas no sistema venoso, assimetria corporal, macrocefalia, gigantismo, manchas no corpo, dificuldades renais e na visão e ligeiro atraso no desenvolvimento intelectual. Fisicamente, detecta-se pela estatura elevada, um lado do corpo maior que o outro, cabeça muito grande (macrocefalia), testa saliente e olhos encovados... Aguardando resposta... Votos de bom ano de 2010.