Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

EDUCAÇÃO DIFERENTE - Gabinete de Apoio e de Intervenção

EDUCAÇÃO, SOCIEDADE E DEFICIÊNCIA

EDUCAÇÃO DIFERENTE - Gabinete de Apoio e de Intervenção

EDUCAÇÃO, SOCIEDADE E DEFICIÊNCIA

Apoio on-line

Olá, sou Enfermeira na Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais do Hospital de Santa Maria - Lisboa. Gostaria de perguntar o que é necessário fazer para poder aprender de certo modo a Terapia com Golfinhos. Tenho (entre outras duvidas), a curiosidade de saber pelos Estudos que foram por vós desenvolvidos,  a faixa etária mínima para iniciar esta Terapia. Como todos sabemos a Intervenção Precoce faz verdadeiros milagres. Aguardo com ansiedade resposta de V. Ex.as, Despeço-me com os melhores cumprimentos,

Bom dia... Trabalhar com animais produz resultados benéficos ao desenvolvimento da criança ou jovem, assim como contribui para uma melhoria efectiva da qualidade de vida do adulto ou do idoso... A terapia utilizando animais... Trata-se do recurso a animais em programas de apoio, que auxiliam a recuperação física ou psicológica de crianças e adultos. Os seus principais objectos são: Idosos em lares; Pessoas fragilizadas fisicamente ou hospitalizadas; Crianças e adultos com problemas de aprendizagem ou com deficiência mental; Crianças e adultos fragilizados psicológicamente; Crianças provenientes de famílias em risco e adultos com problemas sociais e de adaptação. Um animal utilizado para terapia, terá de ter determinadas caracteristicas comportamentais e/ou morfológicas, aliadas a um treino específico... Que só assim permite a recuperação de traumas ou auxilia na aprendizagem... Actua geralmente com a supervisão do dono ou treinador preparado para a sua função. Um animal de terapia deve ser calmo e inspirar confiança em quem o irá manejar, deverá sustentar o olhar das pessoas, gostar de que lhe façam festas, o abracem e toquem, mantendo-se calmo perante movimentos bruscos e barulho alto. Um animal que rosne, fuja, demonstre impaciência ou seja nervoso não servirá para trabalhar. Se não interage, não poderá auxiliar ninguém. Há milhares de anos que os golfinhos têm sido uma fonte de fascínio para os humanos. Algumas pessoas acreditam que o contacto com os golfinhos pode ter um efeito terapêutico para aqueles que sofrem uma escala de circunstâncias físicas e psicológicas. Nos últimos anos houve uma pesquisa na terapia com golfinhos, e aqueles que a receberam podem testemunhar os seus benefícios... A terapia com golfinhos é considerada para jovens e adultos com condições diferentes, tais como autismo, a trissomia 21, paralisia cerebral, paralisia muscular, depressão, entre outros... A terapia com os golfinhos é muito mais do que nadar ou estar em contacto com eles. Todos os programas são acompanhados por terapeutas que observam cada paciente em particular, para assim os enviarem para específicos programas de tratamento de acordo com as necessidades de cada um. Não tem por objectivo curar, mas sim ajudar a aliviar sintomas... Amostras de sangue feitas antes e óleos desta terapia mostraram que há uma enorme mudança a nível hormonal e enzimático naqueles que nadaram com os golfinhos. Para além disto, é uma terapia realizada em ambiente agradável - Encontros com golfinhos evocam uma profunda resposta emocional e suscita, a libertação de emoções e sentimentos...Os golfinhos conseguem perceber as áreas de deficiência e trauma físico no corpo humano e motivam as crianças a usarem essas partes. O princípio curativo é semelhante ao da terapia com som. Os ritmos e as vibrações facilitam as mudanças de humor. De acordo com o Dr. Cole, presidente da fundação "Aquathrough", nadar com golfinhos pode criar mudanças fisiológicas em células e tecidos do corpo humano. Explica também que os golfinhos têm um sonar natural e emitem ondas ultra sónicas para localizar coisas e comunicar. A este processo chama-se "ecolocalização".
Os sons emitidos pelos golfinhos são tão intensos que podem causar "cavitação" criando orifícios na estrutura molecular de fluidos e tecidos moles. Dr.Cole acredita que as frequências de sinal emitidas pelos golfinhos podem provocar um efeito profundo no cérebro humano modificando a actividade de ondas cerebrais. Foi notado que há uma maior sincronização entre o lado direito e esquerdo do cérebro: este pode facilitar o processo de aprendizagem.

Algumas sugestões:

http://edif.blogs.sapo.pt/51092.html

http://edif.blogs.sapo.pt/43996.html

http://edif.blogs.sapo.pt/33782.html

http://edif.blogs.sapo.pt/808.html

http://expatriat-service.net/curacao-caribe/terapia-com-golfinhos-curacao.html

http://www.terra.com.br/istoe/ciencia/148813.htm

http://www.institutoaqualung.com.br/info_golfinhos_61.html

http://www.psicologia.com.pt/artigos/ver_artigo_licenciatura.php?codigo=TL0093

http://luceci.tripod.com/golfinho_saude.htm

http://www.pensandonisso.com/curiosidades/golfinhoterapia-ou-delfinoterapia/

http://patinhasebigodes.blogspot.com/2009/03/delfinoterapia.html

http://www.westmariana.com/sindromewest.htm

http://www.grupoelron.org/autoconocimientoysalud/delfinoterapia.htm

http://www.isabelsalama.com/Terapia%20asistida%20con%20delfines.htm

http://laisladelosdelfines.ning.com/group/cursodedelfinesydelfinoterapia21y22denoviembre

http://www.hotelzaharadelosolivos.com/noticias/32/cursos-la-isla-de-los-delfines-2009.aspx

http://www.wocplanet.com/contenidos/58/delfines-y-delfinoterapia.aspx

Bom trabalho!