Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

EDUCAÇÃO DIFERENTE - Gabinete de Apoio e de Intervenção

EDUCAÇÃO, SOCIEDADE E DEFICIÊNCIA

EDUCAÇÃO DIFERENTE - Gabinete de Apoio e de Intervenção

EDUCAÇÃO, SOCIEDADE E DEFICIÊNCIA

Apoio on-line

Adorei tudo que li e gostaria se pudesse me ajudar estou sem saber que práticas seriam mais adequadas a um aluno com deficiência mental severa e hiperactivo, vocês têm algo que me possa ajudar desde já muito obrigado.


Olá... Para definirmos deficiência mental temos, obrigatoriamente, de pensar em quociente de inteligência, na medida em que esta deficiência interfere directamente com o funcionamento intelectual de qualquer ser humano. Contudo, nem todos os seres humanos possuem um desenvolvimento intelectual igual entre si, alguns sofrem de distúrbios intelectuais que advém de causas diversas. Os indivíduos que se enquadram neste nível necessitam geralmente de protecção ou de ajuda, pois o seu nível de autonomia pessoal e social é muito pobre. Por vezes têm problemas psicomotores significativos. Poderão aprender algum sistema de comunicação mas a sua linguagem verbal será sempre muito débil. Podem ser treinados em algumas actividades de vida diária (AVD) básicas e aprendizagens pré-tecnológicas muito simples. Aqui ficam e de uma forma muito geral algumas formas de intervenção: Terapia ocupacional: O objectivo da terapia ocupacional é tornar a pessoa a mais autónoma possível, na realização das suas actividades do dia-a-dia, ao nível da higiene, cuidados pessoais, relacionamento com os outros, trabalho, escola e lazer (apesar das incapacidades que possa apresentar). O terapeuta ocupacional pode intervir junto de crianças e/ou adolescentes com problemas diversos a nível do desenvolvimento psicomotor, deficiências ou síndromes específicos e que impossibilitem um bom desempenho ocupacional. Pode ainda, intervir directamente com os seus utentes, como poderá solicitar a participação dos familiares, professores ou outros profissionais que acompanham a criança e/ou adolescente. Terapia da fala: É o serviço de saúde a que compete a prevenção, avaliação/diagnostico, tratamento e estudo científico da comunicação humana e suas perturbações, considerando que esta engloba todas as funções associadas é compreensivo e expressão da linguagem oral e escrita, assim como todas as formas de comunicação não-verbal. O objectivo é promover a eficácia comunicativa da pessoa (criança ou adulto) no seu meio social, educacional e profissional, tendo em consideração quer as suas características pessoais, quer as do meio envolvente. Apoio psicológico: A actuação do psicólogo junto aos portadores de deficiência mental tem-se restringido à triagem e avaliação. Os portadores de deficiência mental sofrem da mesma problemática psicológica que os ditos "normais", agravada pela discriminação e rejeição social a que são submetidos. Porém, se tiverem as condições adequadas, mostram-se perfeitamente capazes de reflectir de e expressar os seus sentimentos. O apoio psicológico com o portador de deficiência mental pode ser decisivo para o seu crescimento emocional e existencial, através do crescimento do seu repertório de comportamentos adaptativos, do conhecimento dos seus limites e do desenvolvimento dos meios de superar e/ou aceitá-los. Hipoterapia: A Hipoterapia é uma actividade terapêutica destinada a indivíduos com deficiência. É um tratamento dinâmico que utiliza o movimento do cavalo desenvolvendo o equilíbrio, postura, mobilidade, bem como a parte cognitiva.  Isto porque, montar a cavalo oferece benefícios devido à transmissão contínua de movimentos entre o cavalo e o cavaleiro O movimento do cavalo oferece uma variedade de ritmos cadenciados, que dá a possibilidade, de um ponto de vista terapêutico, graduar o nível de sensações que o paciente recebe. O passo do cavalo, que é o seu movimento mais lento, é composto por quatro tempos. Os membros do cavalo movem-se em diagonal dissimétrica, ou seja, um membro de cada vez. O movimento proporcionado pelo cavalo é semelhante ao do homem, composto por três partes: movimento vertical, rotativo e longitudinal. Educação física: Como é sabido, o exercício físico e consequentemente a educação física produzem nas crianças, jovens e adultos diversos benefícios: cognitivos, fisiológicos, físicos. A educação física tem como objectivo auxiliar o desenvolvimento harmonioso do corpo e da mente, contribuindo para a formação da criança/jovem de uma forma geral, ao nível da saúde, na vida em sociedade. A actividade física regular contribui para ajudar no desenvolvimento dos músculos e no desempenho das suas funções (orientadas pelo sistema nervoso), melhorar o funcionamento do sistema respiratório e circulatório e pode ainda servir para evitar algumas doenças. Actividades aquáticas: A natação e/ou actividades aquáticas são fundamentais para um desenvolvimento harmonioso das qualidades físicas, psicológicas e sociais de todas as pessoas, independentemente das suas capacidades e “limitações”. Este tipo de actividade produz efeitos benéficos para o aluno portador de deficiência, quer seja física ou mental. A água apresenta algumas características que facilitam de certa forma o deslocamento sem muito esforço, auxiliando o equilíbrio do aluno com Necessidades Educativas Especiais e permitindo a execução de movimentos que fora de água seriam difíceis ou até impossíveis de realizar. Para além disto, a frequência deste tipo de actividade contribui para o fortalecimento dos músculos, para o aumento do equilíbrio, para o relaxamento muscular e da coluna vertebral, para a diminuição de espasmos, para o aumento da amplitude dos movimentos corporais, para a melhoria da postura, para o alívio de dores e das tensões do foro psicológico, entre outras coisas. Arte Plástica: A arte plástica pode auxiliar: na reabilitação (física e mental); na expressão de sentimentos e sensações (por exemplo: para crianças que não se conseguem expressar por palavras); elevar a motricidade geral (através do desenho, pintura, colagens, corte, etc.); desenvolver o sentido estético (preocupação pela beleza e estética); aumentar a capacidade criadora (desenvolvendo a imaginação); proporcionar a cooperação com os colegas (o trabalho de grupo e a entre – ajuda); elevar a autonomia (pessoal e social); entre outros. A arte plástica pode ser desenvolvida por professores; educadores e outros funcionários nas salas de aula através de actividades de expressão e educação plástica; em locais próprios criados para o efeito especializados ou não numa área (exemplo: oficina das madeiras; complemento de expressão plástica, atelier de pintura, etc.) vocacionados para o trabalho de um ou mais materiais. Pode ainda, ser utilizada como terapia nos gabinetes técnico especializados, como forma de auxílio ao trabalho realizado ao nível da psicologia, psicomotricidade, terapia da fala e terapia ocupacional. Psicomotricidade: O psicomotricista estuda e compensa a expressão motora inadequada ou inadaptada, em diversas situações geralmente ligadas a problemas de desenvolvimento e de maturação psicomotora, de comportamento, de aprendizagem e de âmbito psico-afectivo. Pode ser utilizada em situações de: incidência corporal (dispraxia, desarmonias tónico-emocionais, instabilidade postural, perturbações do esquema corporal e da lateralidade, estruturação espacial e temporal, perturbações da imagem corporal, problemas psicossomáticos); de incidência relacional (dificuldades de comunicação e de contacto, inibição, hiperactividade, agressividade); de incidência cognitiva: no plano do processamento informacional: défices de atenção, de memória, de organização perceptiva, simbólica e conceptual). A utilização das novas tecnologias: Informática educativa: Ela visa desenvolver o raciocínio lógico, a percepção, a coordenação motora, a noção de lateralidade, o reconhecimento de espaço, noções de conhecimentos gerais, estímulos visuais e auditivos, estímulos competitivos e cooperativos, aquisição de conhecimentos e outras habilidades. Informática musical: Utilizando um software para visualizar as frequências sonoras, o aluno consegue distinguir sons graves, médios e agudos, facilitando a aprendizagem de um instrumento musica. Informática de parceria: Nesta modalidade, a família tem acesso às aulas de seus filhos, havendo uma troca entre os softwares educativos usados na sala de aula e os utilizados em casa, permitindo que a família reveja os conteúdos ministrados em sala de aula (e participe no processo de aprendizagem).Informática participativa: Visa estimular a navegação na Internet, estimulando o aluno a participar de fóruns e debates. Informática integradora social: Permite aos alunos actuar de forma criativa e eficiente na realização de trabalhos, utilizando o computador. Informática de comunicação: Utilização de softwares para facilitar a aprendizagem e a comunicação (quando necessário). Informática terapêutica: Esta modalidade beneficia especialmente alunos com deficiência física e auditiva, que utilizam o computador como uma "prótese" de comunicação. Esse processo acontece em função da interacção terapeuta/paciente/computador. Informática profissionalizante escolar: Tendo o professor como orientador, o aluno pode actuar como monitor no laboratório de informática ou como auxiliar de outros professores no preparo de aulas e testes. Expressão musical: A expressão musical oferece ao indivíduo o acesso à música enquanto arte, linguagem e conhecimento. A educação musical, assim como a educação geral e plena do indivíduo, acontecem naturalmente na escola e na vida em sociedade. A Expressão Musical assenta num trabalho de exploração de sons e ritmos, que a criança produz e explora espontaneamente e que vai aprendendo a identificar/produzir, com base num trabalho sobre os diversos aspectos que caracterizam os sons. Expressão dramática: A expressão dramática, no seu sentido etimológico, remete-nos para uma exteriorização pela acção. Enquanto actividade artística, trata-se de uma forma de expressão – comunicação pela acção fictícia. Tendo como elementos fundamentais o corpo, a voz, o espaço e os objectos integra normalmente outras formas de expressão para recriar e tornar presentes pela “imitação” acções e situações passadas ou imaginariamente futuras.

Em baixo deixamos alguns links de interesse. Esperamos que sejam uteis.

http://edif.blogs.sapo.pt/568.html

 

http://webleones.home.sapo.pt/mental.html

 

http://www.gforum.tv/board/300608-post4.html

 

http://www.mamaminha.com/teste_pezinho.shtml

 

http://cerfapie.blogs.sapo.pt/38558.html

 

http://desciclopedia.pt/wiki/Transtorno_do_d%C3%A9ficit_de_aten%C3%A7%C3%A3o_com_hiperatividade

 

http://www.anamarisabrito.com/

 

http://diferenteseexcepcionais.blogs.sapo.pt/tag/tdah

 


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.