Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

EDUCAÇÃO DIFERENTE - Gabinete de Apoio e de Intervenção

EDUCAÇÃO, SOCIEDADE E DEFICIÊNCIA

EDUCAÇÃO DIFERENTE - Gabinete de Apoio e de Intervenção

EDUCAÇÃO, SOCIEDADE E DEFICIÊNCIA

Apoio on-line

Olá, o meu filho tem 4 anos e dizem que está à beira de entrar no autismo. Não percebo, ou se é autista ou não, correcto?
Digo isto porque, li aqui os vários relatos e apesar de ser duro ler isto, sinto-me em parte reconfortado, por saber que não estamos sós nisto. É no entanto frustrante cada vês que vamos a um novo especialista , começar a dar teorias mais duras e desviadas da realidade do nosso filho. Não sei se ter uma nova opinião, mas desta vês dum psiquiatra nos ajudaria. O nosso jovem, tem traços autistas, défice de atenção, traços de hiperactividade (o que significa que nunca temos propriamente paz ou uma vida normal).

 


Para já uma palavra de apoio e de força aos pais. É necessário bater a muitas portas, ouvir muitos dissabores e contornar todos os obstáculos... Isto porque se trata do vosso filho. Podemos definir o autismo como uma alteração cerebral/comportamental que afecta a capacidade da pessoa comunicar, de estabelecer relacionamentos e de responder apropriadamente ao ambiente que a rodeia. Algumas crianças, apesar de autistas, apresentam inteligência e fala intactas, algumas apresentam também atraso mental, mutismo ou importantes atrasos no desenvolvimento da linguagem. Outros parecem fechados e distantes e outros parecem presos a comportamentos restritos e rígidos padrões de comportamento. O autismo é mais conhecido como um problema que se manifesta por um alheamento da criança ou adulto acerca do seu mundo exterior encontrando-se centrado em si mesmo ou seja existem perturbações das relações afectivas com o meio. A maioria das crianças não fala e, quando falam, é comum a ecolalia (repetição de sons ou palavras), inversão pronominal, confusões verbais, etc. O comportamento destas crianças é constituído por actos repetitivos e estereotipados; não suportam mudanças de ambiente e preferem um contexto inanimado. Alguns sinais de alerta numa criança: não se mistura com as outras crianças; age como se fosse surdo; resiste à aprendizagem; não demonstra medo dos perigos reais; resiste a mudanças de rotina; usa as pessoas como ferramentas; apresenta risos e movimentos pouco apropriados; resiste ao contacto físico; acentuada hiperactividade física; não mantém contacto visual; agarra-se demasiado a determinados objectos; manipula e manobra objectos de uma forma peculiar; por vezes apresenta problemas de agressividade; comportamento indiferente e afastado. Intervenção pedagógica: uma criança ou jovem com autismo ao chegar à escola deverá ter um atendimento especializado, no sentido de diagnosticar as suas necessidades e possibilidades. Este diagnóstico deverá ser elaborado com base na análise atenta dos planos e/ou outros relatórios que acompanhem o processo individual do aluno, uma vez que estes fornecem ao professor elementos preciosos acerca das capacidades e das realizações do aluno, bem como elementos relativos aos seu funcionamento no contexto da aula. A partir deste diagnóstico irá ser desenvolvido o seu projecto pessoal, no qual estarão presentes os modelos de atendimento à diversidade adequados ao aluno em questão. Este diagnóstico deverá atender a quatro fases distintas mas complementares: conhecimento, planificação, intervenção (preliminar, compreensiva e transaccional) e reavaliação e deverá ser elaborado por uma equipa multidisciplinar. Devemos ter em consideração que a avaliação preliminar constitui uma das etapas mais importantes de todo o processo de avaliação para a criança em risco educacional ou com possíveis necessidades educativas especiais. Assim sendo, esta deve ser encaminhada para os serviços de Educação Especial a fim de se lhe possibilitar uma aprendizagem mais individualizada e acompanhada garantindo, assim, que lhe seja facultado um bom desenvolvimento global. Esta oportunidade, no entanto, não deve descorar a possibilidade de cooperação entre professores do ensino regular, professores de educação especial, pais e outros técnicos que eventualmente sejam consultados. Nos serviços de Educação Especial, a criança / jovem terá o apoio necessário dos diversos técnicos a fim de elevarem as suas capacidades, designadamente: Professor / Educador; Auxiliares de Educação; Psicomotricista; Terapeuta da Fala; Terapeuta Ocupacional; Psicólogo; entre outros. Deve existir, por parte dos técnicos, uma preocupação acérrima em trabalhar as áreas Psicomotora, Cognitiva, Perceptiva-Motora, Comunicação, Sócio-afectiva e Autonomia pessoal, social. A criança com autismo deve ser estimulada a todos os níveis devendo beneficiar de actividades diversificadas no âmbito da Psicomotricidade, da Terapia Ocupacional, da Terapia da Fala, de Apoio Psicológico, da Estimulação Global (ou estimulação académica numa fase inicial), da Expressões Musical e Dramática, da Natação ou Actividades Aquáticas, da Autonomia Pessoal e Social, a fim de abordar e desenvolver ao máximo a sua autonomia pessoal no que concerne à higiene, alimentação, segurança, entre outras. Para além disto, é necessário que o aluno com autismo disponha de recursos materiais e espaciais adequados ao seu desenvolvimento. Nomeadamente, materiais lúdicos e pedagógicos e espaços amplos devidamente apetrechados. É importante que estes alunos contactem com outras pessoas (sem ser colegas, técnicos e encarregados de educação), assim como espaços exteriores (ao ar livre). Nesta fase é importante que a criança / jovem seja estimulada ao máximo para que se verifiquem evoluções significativas.

Contacto útil (para realizar despiste):

 

Hospital Pediátrico de Coimbra

Avenida Bissaya Barreto
3000-076 Coimbra Tel:
Geral: 239480300
Urgências: 239480321
Consultas Externas: Centro de Desenvolvimento da Criança: 239480601; Especialidades Cirúrgicas: 239480633
; Especialidades Médicas: 239480632
Secretaria: 239480310 Fax: 239717216 E-Mail:
correio.hpc@chc.min-saude.pt

Aqui ficam alguns links de interesse (artigos, associações, acompanhamento):

http://www.anamarisabrito.com/

http://www.appda-lisboa.org.pt/federacao/autismo.php

 

http://edif.blogs.sapo.pt/28148.html

 

http://edif.blogs.sapo.pt/27151.html

 

http://edif.blogs.sapo.pt/27752.html

http://edif.blogs.sapo.pt/27476.html

 

http://edif.blogs.sapo.pt/32472.html

 

http://dificuldadesaprendizagem.blogspot.com/2007/06/phdadhdadadh-hiperactividade-implicaes.html

 

http://www.saudeinformacoes.com.br/bebe_hiperatividade.asp

 

http://www.hiperatividade.com.br/

Boa sorte!


 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.