Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

EDUCAÇÃO DIFERENTE - Gabinete de Apoio e de Intervenção

EDUCAÇÃO, SOCIEDADE E DEFICIÊNCIA

EDUCAÇÃO DIFERENTE - Gabinete de Apoio e de Intervenção

EDUCAÇÃO, SOCIEDADE E DEFICIÊNCIA

Apoio on-line

Caros Amigos Tenho um cão Labrador Retriver, macho de dezoito meses, cor amarelo. Necessito de informações como devo proceder para treiná-lo deixando apto para sua participação em Terapia Assistida por Animais. No momento encontro dificuldades em localizar livros especializados em treinamento do cão para a finalidade. Solicito se possível indiquem leituras que poderão ajudar em meus objectivos.


No decorrer dos últimos 15 anos, um novo papel tem sido descoberto para os animais na vida das crianças/jovens. A literatura especializada tem mostrado como eles podem tornar-se auxiliares terapêuticos valiosos no tratamento de vários tipos de problemas físicos e psicológicos infantis/juvenis. Diversos autores têm realizado investigações que nos levam a reconhecer, nos animais, mais um recurso no tratamento de crianças/jovens com problemas emocionais, de aprendizagem, de linguagem ou autistas. Mesmo nas crianças/jovens que experimentam situações de stress apenas temporariamente, a companhia de um animal pode contribuir para avaliar a ansiedade e suprir o apoio emocional. Entre muitas pessoas a atitude para com os animais é similar a adoptada perante aqueles considerados de menor valor. A escravidão, por longo tempo estabelecida e aceita como meio de tratar os outros nas sociedades humanas, reflecte uma atitude que é similar àquela que é adoptada com os animais por muitas pessoas na sociedade contemporânea. Respeito pela vida, é um slogan muito usado, entretanto devemos reflectir acerca do respeito e da sua importância, sugerindo respeito, não somente por outros seres humanos mas também por todas as outras formas de vida tanto animal quanto vegetal. O ser humano tem de se alimentar de algo, e é frequentemente sugerido que deve ir o quanto for possível até o máximo da cadeia alimentar para se alimentar. Os vegetarianos progrediram parte do caminho, enquanto os naturalistas e os que se alimentam somente de frutas, mais ainda. Qualquer animal que se pretenda utilizar em TAA terá de passar por uma selecção criteriosa realizada por técnicos especializados e que integram a equipa interdisciplinar (psicólogo, veterinário, fisioterapeuta, treinador de cães, entre outros). Os bichinhos serão também escolhidos de acordo com o que se pretende atingir em terapia com determinado paciente. Ou seja, no caso de uma criança hiperactiva deverá ser utilizado um animal calmo, dócil e tranquilo. No caso de um indivíduo autista, deverá ser utilizado um animal mais enérgico de modo a estimular a interacção. Não existe uma raça, tamanho, sexo ou pelagem específica para escolha de cães ou outros animais a ser utilizados em TAA, até porque, o aspecto mais importante para a selecção dos mesmos consiste na sua personalidade, carácter e comportamentos bem como, na empatia e capacidade de aceitação do outro. Na sua maioria, os animais primeiramente e preferencialmente escolhidos para a TAA consistem nos cães. Esta escolha surge devido a diversas características que estes animais apresentam. Desde já consistem num animal doméstico, está sempre disposto a partilhar a sua alegria, brincadeira, dedicação, não descriminando os humanos devido ao seu sexo, cor de pele, patologia. Ele aceita-nos tal qual nós somos e, infelizmente, a grande maioria dos humanos vive repleto de preconceitos. O cão é também o mais brincalhão dos animais domésticos e das espécies de animais existentes, como tal, para a criança torna-se um inseparável amigo de brincadeiras. É um animal apto para uma diversidade de actividades, interage facilmente com outros animais e humanos, possui um grau de aprendizagem muito bom o que, favorece a sua utilização para determinadas tarefas e para atingir certos objectivos. Como as pessoas, os cães possuem personalidade e aptidões próprias e, as suas raças permitem-nos definir quais as suas características gerais e especificas. Podemos ainda salientar que é um animal que estabelece relação com o seu dono e outros de tal forma que, a sua fidelidade, confiança, harmonia e alegria poderão ser visíveis perante esta interacção, o que pode permitir ao paciente de TAA melhorar aspectos físicos e emocionais perante contacto com o animal. Tais factos e muitos outros contribuem para que este magnífico animal seja único e como tal, é muito importante a sua presença em terapia. O cão de TAA é ainda um animal dócil, sociável, receptivo, carinhoso. São vários os estudos por todo o mundo que revelam a importância dos animais, especialmente dos cães, na vida das pessoas nos mais diversos contextos da sua vida (meio hospitalar, prisões, escolas, instituições, entre outros). Os cães utilizados em terapia surgem sempre nos locais onde se pretende aplicar a TAA com as respectivas coleiras de modo a serem evitados quaisquer acidentes. Deverão estar sempre limpos, saudáveis, com as unhas cortadas, com as vacinas em dia, com os canais auditivos limpos e dentição escovada. O bem-estar geral do animal é um aspecto importantíssimo para que a terapia possa ocorrer da melhor forma possível e, para que se evite o risco de transmissão de zoonoses ou contaminação dos locais de terapia. No caso de TAA se aplicar a pacientes fragilizados ou com sistemas imunitários fracos devido a doença ou tratamentos diversos (quimioterapia, entre outros) estes aspectos de saúde e higiene do animal jamais poderão ser esquecidos. No caso de se denotar que de facto, o animal apresenta sinal de doença que possa provocar risco à saúde do paciente, o bichinho deverá ser excluído e substituído dos programas de sessões por um período necessário (temporário ou definitivo).

Em baixo deixamos algumas sugestões de leitura e de visita:

http://edif.blogs.sapo.pt/33782.html

http://www.anamarisabrito.com/

http://www.dogtimes.com.br/faq_petterapia.htm

http://yahoo.zura.com.br/Terapia_assistida_por_animais_ISBN_8535616853.html

http://www.psicologia.com.pt/artigos/ver_artigo.php?codigo=A0109&area=d4&subarea=

http://marcelbenedeti.com.br/blog/?p=83

http://www.prp.unicamp.br/pibic/congressos/xvicongresso/paineis/058832.pdf

http://www.jacotei.com.br/mod.php?module=jacotei.comparacao&prodid=635785&catid=215&mostra=true

http://www.amazon.com/gp/product/0122564758?tag=blogcomdigita-20&link_code=sp1&camp=2025&dev-t=D3QU5YTOH5RXO7

http://www.amazon.com/gp/product/090521417X?tag=blogcomdigita-20&link_code=sp1&camp=2025&dev-t=D3QU5YTOH5RXO7

http://www.animaisterapeutas.com.br/docs/Fisioterapia_assistida_por_Animais_em_Idosos_Institucionalizados_REV.pdf

Bom trabalho!


 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.